Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS
Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS

Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS
Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS
Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS
Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS
Todos os anos, com a ajuda de Deus, penso que todos se planejam para passar o fim de ano na praia, para recarregar as forças para o novo ano. E conosco não é diferente, sempre planejamos durante o ano e fazemos questão de ir com nosso xodós de cada dia! Já foi Gol, Celta, Ecosport, Saveiro, Vectra e agora Stilo e Jetta, todos baixinhos, sem medo. A sensação de sair de madrugada, passando pelas estradas que não fazem parte da nossa rotina, respirando um ar diferente, vendo paisagens que mostram o quão longe estamos de casa enquanto a ficha cai de que estamos ali, há centenas de kilômetros de casa, na companhia do nosso carro é algo que não tem preço!

Há 3 anos atrás fomos com dois carros também, um Vectra, deste que vos escreve, e a Saveiro que na época era o xodó do Wesley 'Barriga', e a matéria completa pode ser vista aqui. Esse ano, os personagens foram o Jetta do Rodrigo 'Di', com suspensão fixa Elicar, legalizado e rodas Foose RS 20" com pneus 225/35, e o Stilo do Glauber 'Grau', com suspensão fixa Elicar, legalizada, rodas originais 17" e xenon também legalizado, que inclusive gerou a história que mais abaixo será contada. No Jetta foram apenas duas pessoas, mas o Stilo fez questão de provar sua raça: foram quatro pessoas, sendo das quatro duas mulheres, que levaram malas suficientes para passarem 15 anos na praia. Após tudo acomodado, fomos fazer a última vistoria e vimos que o escapamento estava a 6 cm do chão, sem falar do peito de aço. Conclusão? Um sorriso no rosto, comentários positivos de alegria pela altura e um unânime #partiu!

Saimos de Maringá por volta das 4h30. O trajeto escolhido foi o mesmo marcado no mapa acima, pela BR-376, passando por Curitiba. O asfalto de todo o percurso é tranquilo, sem onduações e buracos, e a sinalização está boa, com exceção de um trecho de 33 Km logo após Curitiba que nunca teve seu asfalto perfeito. Fizemos 3 paradas, e chegamos na porta da casa onde ficariamos as 14h30 em ponto, totalizando 10 horas de viagem feitas sem pressa, numa média de 100-120 km/h, curtindo a viagem. Outro pormenor que vale a pena ressaltar são os pedágios, 10 no total, que somando dão R$ 58,90 (facada!).

Resumo da ida: 750 kms rodados, tudo perfeito, problemas zero!
Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS Highslide JS
Durante a estadia, pouco saimos com os carros, rodando em torno de 30 kms. O destaque fica para os carros presentes na ruas de Jurerê. Foram Cayman S, 335 Berlinetta, 360 Spyder, 360 Modena, SLS, Vantage, todos passando na rua, sem chance de fotografia, e a exposição especial da Dubai Motors, com as crianças das fotos abaixo que dispensam nossos comentários!
Passados os 10 dias, chegou o dia de voltar. Cabeça pronta pra enfrentar mais um ano de trabalho, já com aquela saudade de casa, e prontos pra pegar a estrada novamente. Dessa vez fizemos diferente, saindo as 13h00, para vir sem pressa e sem sono, algo importante.

Logo ao sairmos, passando por Florianópolis, passamos por um posto da Polícia Rodoviária, indo o Jetta na frente e o Stilo atrás. Como estava um tempo nublado, o Stilo estava com os faróis ligados, sendo eles xenon de 6000k, legalizado. Passamos pelo posto numa boa, e cerca de 2 kms mais á frente, vimos uma Frontier da PR na nossa traseira (Stilo) pedindo para que parassemos. Encostamos, e com o velho bordão 'habilitação e documentos do veículo', entregamos os mesmos sem afirmar nada das legalizações, dirigindo apenas um 'boa tarde' para eles. A dupla de oficiais foi para dentro da Frontier, e passado cerca de 2 minutos voltam com uma trena! Mediram a frente do Stilo, e deram a afirmação: 'Até a iluminação está legalizada não é...'. Respondendo um 'sim', com um sorriso maquiavélico no rosto, pegamos os documentos e #partiu Maringá! Claro que durante uma boa parte da viagem comentavamos sobre o assunto, chegando a conclusão que ao passarmos pelo posto policial, com o carro arrastando, numa cor pouco chamativa, e com o xenom ligado, eles já pularam pra dentro da Frontier e sairam com sangue nos olhos! Mas nada que poucas palavras não resolvam, pois talvez se tentássemos ser agressivos eles procurariam defeitos para nos segurar ali.

Seguindo viagem, cerca de 2 kms para a frente estava o Jetta, esperando, para que seguissemos em frente! Passando pelo conhecido 'Soledade', paramos para jantar, o que nos fez gastarmos mais tempo de volta que de ida, chegando em Maringá as 00h30 e totalizando 11 horas e meia de viagem.

Sobre os custos da viagem, tirando os preparatórios, como revisão, alinhamento e balanceamento, foram gastos:

Stilo: Pedágio (Ida e Volta) - R$117,80 | Combustível (1530 Km, com uma média de 12,5) - R$ 353,00 |  Total: R$ 470,80
Jetta: Pedágio (Ida e Volta) - R$117,80 | Combustível (1530 Km, com uma média de 10,2) - R$ 460,00 | Total: R$ 577,80

Resumo da volta: 1530 kms rodados, tudo perfeito, problemas zero!

O consumo pode variar bastante de carro para carro, como é o exemplo do Stilo para o Jetta, mesmo com os dois carregados, com uma diferença de R$ 107,00 no fim das contas. Concluindo, o Stilo, mesmo carregado, foi mais econômico. E sim, vale a pena ir com seu carro, é só ter o mesmo cuidado que todos tem em andar em Maringá, e se puder ir com a suspensão legalizada, é melhor. De resto, é só curtir o prazer de viajar com seu carro, do jeito que você sempre quis!